segunda-feira, 28 de março de 2011

No Ágape, eu superei a dificuldade maior que a Minha

Quando eu tinha treze anos, manifestou-se em mim uma revolta íntima que me levaria por certo, a um perigoso
complexo de inferioridade.
Eu tinha um metro e noventa e cinco, quarenta e seis de pé e não me conformava.
Imagine você, na minha época 1980, a dificuldade de encontrar sapatos para um pé tão enorme.
As pessoas não deixavam eu nem entrar na loja, falavam que só vendia sapatos para pés normais.
Hoje eu glorifico pelo meu pé, que por sinal foi responsável pelo Ágape.
Como são belos os pés do mensageiro, bendito pé, porque se eu não tivesse machucado o pé, nós não teríamos
o Ágape.
Ontem eu conversava com um grande amigo que leu o Ágape duas vezes no hospital, e ele já se preparou
para o encontro definitivo.
E aqui fica uma sugestão e um pedido de coração:
Você conhece alguém que está no hospital.
Alguém que está sofrendo, se puder presenteie essas pessoas com Ágape.
E tenha certeza que as revoltas, os pecados e os erros serão resolvidos, porque quando a pessoa ler o Ágape
estará renovando as forças e perdoando os erros no verdadeiro amor ( Ágape ).
O nosso Ágape está salvando vidas, porque muitas pessoas sabem que chegou a sua hora,
mas estão preparadas no Ágape, e isto não tem valor.
Um forte Ágape!!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário